A Vontade de Pescar





Texto-Base: João 21:1-17 (clique no link).


Os discípulos estavam vivendo um momento extremamente difícil, pois haviam deixado suas famílias, amigos, casas, empregos, para seguirem a Jesus. E agora, O Senhor tinha sido preso, crucificado, morto e sepultado. Os discípulos estavam reunidos em determinado lugar, olhando uns para os outros, sem saber o que dizer, para onde ir, o que fazer. 

      Muitas vezes isso acontece conosco. Sabe aqueles momentos em que uma desgraça se abate sobre nós, sobre nossa família. Quando, por exemplo, chegamos a casa vindos de um funeral e sentamos no sofá da sala, em silêncio, com um olhar profundo, melancólico, sem saber o que fazer. 

De repente, Pedro tem uma ideia: Eu vou pescar. Vou espairecer um pouco, refrescar a cabeça. E os demais, um a um, aderiram à ideia de Pedro, e todos foram pescar. Há momentos na vida, em que nós também temos essa vontade de pescar. Sabe aquelas horas em que tudo parecer dar errado,  em que as lutas e os problemas nos sufocam e não queremos falar com ninguém,e sentimos vontade de sumir, pois bem,  é nesses momentos que temos vontade pescar, de sair por aí, de distrair a cabeça, de desanuviar, andar pela rua sem destino, ir ao Shopping mesmo sem comprar nada.

Queridos, não existe mal algum em ir ao Shopping, passear, pelo contrário é bom e saudável. O problema está nos motivos que nos levam a isso. Se estivermos bem e formos passear, temos a benção de Deus. Mas, se não estivermos bem, e, em vez de buscarmos em Deus, a solução de nossos dilemas, vamos buscá-la em outros caminhos, aí, só encontraremos decepção.

Lá estão os discípulos lançando a rede ao mar, a noite inteira sem pescar nada. Mas, Jesus estava de pé na praia e pergunta: Ei, vocês pescaram alguma coisa? 

      Hoje, o Senhor faz a mesma indagação: Você que tem trabalhado demais, estudado demais, procurando conquistar tantas coisas, tem pescado alguma coisa? Você que se preocupa tanto com os filhos, com os pais, com o ministério, tentando carregar a sua cruz e a dos outros, você tem pescado alguma coisa? Você que anda ansioso, não consegue dormir, o coração não sossega, pensando no futuro: o que vai ser da minha vida e da minha família? Como se sua ansiedade pudesse mudar alguma coisa, você tem pescado alguma coisa? Você que um dia foi magoado e não consegue perdoar, você tem pescado alguma coisa? E você que um dia falhou, errou, e agora não consegue se perdoar, torturando-se dia e noite, você tem pescado alguma coisa?

Os discípulos tiveram que admitir: Nós não pescamos nada. É somente quando admitimos que não temos pescado nada, que a cura começa. Mas, admitir isso não é fácil. Eu fico imaginando o quanto deve ter sido penoso para aqueles pescadores admitir que não pescaram nada, porque pescador gosta de contar vantagem. E nós somos iguaizinhos a eles, mesmo quando tudo vai mal, nós dizemos que estamos bem, estamos na benção, é só vitória.

Amados, somente quando admitimos: Senhor, eu não tenho pescado nada, o problema só tem aumentado, a dor não cessa, a angústia não encontra fim, eu preciso de Ti. É nesse momento que a cura começa a acontecer.

Jesus, então diz: Lancem a rede à direita do barco. E qual não foi a surpresa deles, pois ao puxarem as redes as mesmas estavam repletas de peixes. Eu aprendo, aqui, que quando temos uma palavra do Senhor, uma direção de Deus, fazemos a mesma coisa que fazíamos antes, mas agora dá certo. A família é a mesma, o emprego é o mesmo, a luta é a mesma, mas agora, temos a benção do Senhor.

João, então diz: “É o Senhor". Pedro coloca a roupa, mergulha, bate o recorde olímpico. Ao chegarem à praia, Jesus não o condena, pois a Graça de Deus, sempre vai ao encontro do perdido, do desesperado. Jesus já tem pão e peixe assados. Meu querido irmão, tudo que buscamos na vida, a felicidade que tanto anelamos, Jesus tem pronta para nos dar.

Aquele homem de pé na praia era tudo que eles precisavam. Ele tinha as respostas e as soluções que Eles buscavam.

Querido, sem Jesus, pregação vira discurso, louvor vira cantoria, sem Ele é frustração, sem Ele é tristeza, é dor, é depressão.

Mas, com Ele a tristeza vai embora, a paz invade o coração, alegria se faz presente.


Autor Convidado: Fábio Vieira



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais antiga Página inicial

Postagens mais visitadas

Entre em Contato Conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *

Total de visualizações de página