A Homossexualidade na Bíblia





Crescem em nosso país os movimentos em defesa da homossexualidade e o número de medidas para incursões culturais, orientações pedagógicas e propostas legislativas voltadas ao reconhecimento das garantias dos direitos à diversidade sexual e de identidade de gênero. 

Entretanto, a mudança na sociedade e a redefinição de conceitos originários das mais variadas ambições, não mudam os padrões de Deus estabelecidos desde o princípio da criação da raça humana: “Porque eu, o Senhor, não mudo” (Malaquias 1:6).


 A BÍBLIA SAGRADA 


A Bíblia é perfeita, revigora a alma (Salmos 19:7), sendo pura (Provérbios 30:5) e inspirada por Deus (2 Timóteo 3:16). 

Muitos apreciam a leitura bíblica, sobretudo, as passagens que revelam o amor, a provisão e o socorro de Deus, mas rejeitam os trechos que tratam do pecado e das suas consequências.

A Bíblia, tanto no Velho quanto no Novo Testamento, condena a prática homossexual.

No princípio, Deus fez um par, unindo o homem e a mulher, com o propósito de constituir uma relação abençoada e plena. Ao criar a mulher, proporcionou ao homem uma correspondente perfeita dentre todos os seres criados. Ambos, homem e mulher, se completam:

"E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos" (Gênesis 1:26-28).

"No Senhor, todavia, a mulher não é independente do homem nem o homem independente da mulher. Pois, assim como a mulher proveio do homem, também o homem nasce da mulher. Mas tudo provém de Deus" (1 Coríntios 11:11-12).

O Senhor também instituiu o casamento, o qual foi destinado exclusivamente para o casal, formado pelo homem e a mulher, a fim de que, juntos, constituíssem a família e gerassem filhos.

"Por essa razão, o homem deixará pai e mãe e se unirá à sua mulher, e eles se tornarão uma só carne" (Gênesis 2:24).

O projeto de Deus para ambos foi mencionado por Jesus em Mateus 19:4-6:


“Então, respondeu ele: Não tendes lido que o Criador, desde o princípio, os fez homem e mulher e que disse: Por esta causa deixará o homem pai e mãe e se unirá a sua mulher, tornando-se os dois uma só carne?” 

Deus revelou Sua ira contra o pecado ao destruir as cidades de Sodoma e Gomorra. A palavra sodomia refere-se ao episódio relatado em Gênesis, no qual os homens de Sodoma e Gomorra pretenderam realizar abuso homossexual contra os anjos que estavam na casa de Ló (Leia Gênesis 19:1-13).

Na Lei de Moisés, a conduta foi tratada como abominação ao Senhor:

“Não te deitarás com varão, como se fosse mulher; é abominação” (Levítico 18:22).

Na epístola aos Romanos, o apóstolo Paulo esclarece a importância do Evangelho, uma vez que a ira de Deus é revelada nos céus contra toda impiedade e injustiça dos homens que suprimem a verdade pela injustiça.

O desejo de Deus é que todos tenham o conhecimento da verdade e sejam salvos (1 Timóteo 2:3-4). Mas quando homens e mulheres tornam-se obstinados em satisfazer seus desejos pecaminosos, Deus os entrega às suas paixões permitindo as consequências maléficas do pecado sobre suas vidas, a fim de que percebam a necessidade de salvação:

“Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza. E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro. E, como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm” (Romanos 1:26-28)

Dentre outros, o pecado relacionado à prática homossexual exclui os homens e mulheres do Reino de Deus:

“Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus? Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus” (1 Coríntios 6:9,10).

Outras práticas sexuais também são pecaminosas aos olhos de Deus, tais como a pedofilia, incesto, zoofilia e o sexo fora do relacionamento conjugal entre heterossexuais. De igual modo, os conceitos de ideologia de gênero, que promovem graves transtornos à formação das nossas crianças, são pecaminosos pela inversão de valores contrários aos princípios bíblicos.



ÓDIO E VIOLÊNCIA


As manifestações de ódio e violência não encontram espaço no coração sincero dos cristãos e o respeito é essencial para vivermos em sociedade, onde somos chamados a amar segundo o amor de Deus, sem acepção de pessoas.  

Em contrapartida, a pregação da mensagem bíblia não deve ser censurada ou combatida, pelo repúdio à mensagem que revela os comportamentos ofensivos a Deus.

O anúncio do Evangelho a toda a criatura é ordenança de Cristo para oportunizar a todos o conhecimento da única Palavra capaz de libertar os que estão enredados no pecado e salvá-los da condenação eterna.


INTERPRETAÇÕES EQUIVOCADAS


Alguns, apoiados na certeza do amor de Deus, sustentam que podem ser livres para desfrutar de quaisquer relacionamentos alicerçados na fidelidade e no afeto mútuo.

Nessa linha de pensamento, líderes religiosos, que vivem em união homoafetiva, projetam-se na sociedade fazendo mau uso das Escrituras para convencerem a muitos de que seu comportamento é aceito diante de Senhor, sendo, inclusive, celebrantes de casamentos entre pessoas do mesmo sexo.

No entanto, a Bíblia adverte para a chegada de um tempo onde haverá a rejeição da sã doutrina:

“Pois virá o tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, sentindo coceira nos ouvidos, segundo os seus próprios desejos juntarão mestres para si mesmos. Eles se recusarão a dar ouvidos à verdade, voltando-se para os mitos” (2 Timóteo 4:3,4).

Portanto, amados, busquem conhecer e estudar a Bíblia. Orem ao Senhor para que o Espírito Santo os conduza à verdade. Toda a pregação e ensino devem ser examinados conforme as Escrituras.

“Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina. Persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem" (1 Timóteo 4.16).

Jesus Cristo veio ao mundo para salvar os perdidos, e ele salva a todo e qualquer pecador que se arrepende e nEle crê.


ARREPENDEI-VOS E CREDE NO EVANGELHO


A Bíblia diz que todos, sem exceção, pecaram e foram destituídos da glória de Deus, necessitando ser salvos e reconciliados com Deus.

"Veio Jesus para a Galiléia, pregando o evangelho do reino de Deus, e dizendo: O tempo está próximo. Arrependei-vos e crede no evangelho" (Marcos 1:14-15).

Cristo ofereceu a Si mesmo como um sacrifício para satisfazer as reivindicações de justiça pelos nossos pecados. O pecador justificado pela fé no Salvador, recebe o perdão dos seus pecados e tem paz com Deus (Romanos 5:1).

"Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor" (Romanos 6:23).


SOMOS TODOS IGUAIS


Os pecados na área sexual não diferem as pessoas umas das outras, não tornam umas inferiores às outras. O amor de Deus recai sobre todos, sem distinção e qualquer pecador pode ser salvo, caso se arrependa de seus pecados, recebendo o Senhor Jesus como Senhor e Salvador pessoal.

"Quem esconde os seus pecados não prospera, mas quem os confessa e os abandona encontra misericórdia. Como é feliz o homem constante no temor do Senhor! Mas quem endurece o coração cairá na desgraça" (Provérbios 28:13,14).

Conhecemos a passagem relatada no Evangelho de João 8:1-11, quando os escribas e fariseus trouxeram uma mulher apanhada em adultério a Jesus. Sabemos a resposta de Cristo dada à mulher:

“Mulher, onde estão aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou? E ela disse: Ninguém, Senhor. E disse-lhe Jesus: Nem eu também te condeno; vai-te e não peques mais.”

Vemos que o Senhor recebeu a mulher com amor e não lançou acusação sobre ela, mas a conduziu ao abandono do pecado.


ESPERANÇA E A NOVA VIDA EM CRISTO OFERTADA A TODOS



As mudanças que vêm sendo implementadas para a conformação da sociedade às práticas sexuais pecaminosas não invalidam os princípios e padrões estabelecidos pelo Senhor para toda a humanidade.

Somente pelo conhecimento e exame das Escrituras encontramos a revelação do que é santo e justo, bem como do que constitui transgressão e abominação, sendo certo que “os preceitos do Senhor são justos, não são penosos e proporcionam alegria ao coração. Seus mandamentos são cristalinos e iluminam o nosso entendimento” (Salmos 19:8; 1 João 5:3).

Se esta mensagem tocou o seu coração, ainda que possa parecer dura, não a rejeite (Hebreus 3:7-8). Entregue-se por inteiro ao amor de Deus, por meio de Jesus Cristo, em fé e arrependimento.

O amor extraordinário de Deus não faz acepção de pessoas, nem de pecados, sendo poderoso para transformar a vida de todo aquele que se rende à Sua vontade, dando início a um processo de mudança interior, no qual é possível experimentar o novo nascimento espiritual e a capacidade de cumprir a vontade do Pai, em plena paz e alegria!

Receba de todo o coração a Palavra de Deus e tenha nova vida com Cristo!





Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Postagens mais visitadas

Entre em Contato Conosco

Nome

E-mail *

Mensagem *

Total de visualizações de página